Voltar para blog 14 mai 2020
O futuro das ferramentas de marketing no imobiliário

Os portugueses estão digitalmente mais educados e mais abertos a testar e usar soluções tecnológicas que conectam pessoas e que permitem viver experiências.

Esta habituação traz desafios para os profissionais.

O tempo de resposta foi ainda mais reduzido, as mensagens direcionadas para todos e para nenhum perderam a efetividade e já não há limites para quando e como contactar as empresas. Espera-se uma reposta breve e personalizada.

Dado o cenário de adaptação ao comportamento dos consumidores, os profissionais têm procurado recursos para vencer os obstáculos que enfrentam.

Estima-se que mais de 70% dos profissionais de marketing planeavam apostar, este ano, em soluções tecnológicas para melhorar a captação e contacto com os clientes. O que não esperavam era ter de implementar estratégias diferentes de um dia para o outro.

Mas quais as tendências da tecnologia para os próximos tempos?

Uma grande necessidade é a melhoria na resposta e relacionamento com as leads e clientes.

A geração de leads continua a ser um grande foco e a tecnologia é extremamente influente para o sucesso deste processo.

As ferramentas especificas para o acompanhamento e gestão dos clientes têm uma componente de automação que facilita a criação e manutenção de oportunidades. Autênticos robôs, usando tecnologia de machine learning e inteligência artificial, podem interagir autonomamente com os clientes. Quando toda a informação é recolhida, é enviada ao consultor, tratada e pronta para que o agente entre em ação.

Já nos deparámos com situações em que estamos a conversar via chat e temos a sensação de estarmos a interagir com uma pessoa. Mas, em muitos casos, estamos a falar com robôs, neste caso específico chamados de chatbots.

Antes era relativamente simples perceber a diferença. Hoje já ficamos na dúvida. Quando se trata de e-mails, é difícil perceber se estamos de facto a interagir com uma pessoa.

A inteligência artificial ajuda os profissionais a otimizar as tarefas diárias, criando alertas, prevendo interações futuras e organizando a informação necessária para gerir o relacionamento com os clientes.

Com o Big Data, ou seja, o acesso a grandes dados de informação sobre os clientes, a personalização da comunicação será ampliada e facilmente executável. Com o alto nível de dados que temos atualmente, conhecemos mais sobre os hábitos e estilos de vida dos clientes como nunca foi possível.

Estes dados podem ser aproveitados para interagir tendo em conta os aspetos das suas individualidades.

Para pessoas ecologicamente conscientes, pode enviar informações sobre eficiência energética, e apresentar imóveis que correspondem a essas preferências. Aos que privilegiam espaços urbanos, pode mostrar propriedades localizadas em zonas com os melhores serviços.

A chave para o sucesso desta tática é nunca mandar informação genérica, desconexa com as preferências e o estilo de vida individual.

Outro uso do Big Data é a personalização dos anúncios mostrados. Vídeos direcionados são 80% mais eficientes que qualquer outro esforço de promoção online.

O crescimento exponencial de ferramentas de visitas virtuais é uma grande valia para o setor. Nesta nova realidade, as tours virtuais são fundamentais para a adaptação. Os que apostaram cedo já estão a experimentar grande adesão. Num mundo de distanciamento social esta é a única forma de visitar uma casa em segurança. E este sentimento é dos mais prezados.

Nos próximos meses vão surgir ainda mais opções tecnológicas para nos ajudar a lidar com a nova realidade. O certo é que as tendências que apresentámos não têm nada de passageiro. Ganham força a cada dia e não há que olhar para elas com desconfiança. Há que aproveitar as ferramentas para fazer mais em prol dos clientes.

Partilhar este post nas redes sociais