Voltar para blog 02 jul 2019
Como dar nova vida a angariações sem leads?

Imagine o seguinte:

Já decidiu, em família, que pretende comprar uma nova casa. Pensou, seriamente, durante alguns meses, se a compra é a melhor opção. Avançou, porque acha que o timing é o certo. Tem um emprego estável, os miúdos acabaram de entrar na escola primária e está na hora de se mudar para uma casa maior.

Porém, ainda não tem a certeza de que tipo de propriedade pretende, nem do budget que irá investir. Sabe que é fundamental estar perto de uma zona escolar e não viver a mais de 20 min do local de trabalho.

Tem feito a pesquisa do imóvel nos canais normais: portais imobiliários, redes sociais e websites das agências mais conhecidas a nível local.

Mas, infelizmente, nem você, nem o seu cônjuge, têm muito tempo para dedicar a esta procura. Os compromissos profissionais e a vida familiar não deixam muita margem de manobra para se dedicarem à pesquisa online e, muito menos, visitar as agências.

Este é um cenário bastante comum. Os compradores nem sempre têm a disponibilidade nem o conhecimento necessários para procurar uma nova casa que se adeque ao que pretendem e ao real investimento que podem fazer.

Em resposta, algumas agências imobiliárias identificaram a oportunidade de criar o serviço de buying agents: consultores que representam os compradores.

Este é um novo foco das agências que têm como objetivo ser muito mais que intermediárias. São empresas que procuram tornar a experiência de compra mais fácil e relacionável, explorando um novo segmento de mercado e um serviço que significa, consequentemente, uma relação duradoura com os clientes. Quem compra hoje, pode vender amanhã.

Para os compradores, as vantagens em recorrer a um buying agent são óbvias: pesquisa seletiva, avaliação do investimento, aconselhamento sobre o estado dos imóveis, representação na negociação, ajuda com os processos burocráticos...

Na verdade, não há qualquer razão para não se contratar um consultor para a representação na compra.

Como beneficiam as agências e agentes?

Para além de prestar um novo serviço, a representação de compradores aumenta a eficiência na condução e concretização de negócios.

Se a negociação for feita entre dois consultores (o negócio perfeito da mediação imobiliária) os interesses do comprador e do vendedor são sempre protegidos. A razão conduz todo o processo, não havendo lugar para impulsos emocionais.

Quando um buying agent apresenta opções e esclarece o cliente, a decisão final é tomada sem grandes hesitações. Um comprador que esteja a desbravar o processo praticamente sozinho, leva, obviamente, muito mais tempo para analisar as propostas.

Como se preparar para ser um buying agent?

Se já tem a mentalidade de um problem solver e prima pela defesa dos interesses do cliente, não terá qualquer dificuldade em desempenhar o papel de buying agent.

Para apresentar soluções para os compradores terá que expandir a sua rede de contactos. Nem sempre encontrará, na sua esfera de influência, imóveis que satisfazem as necessidades do cliente.

É neste aspeto que o SAM-MLS o ajuda.

O MLS conecta os consultores que têm imóveis com os agentes que representam compradores. É tão simples assim.

Ao qualificar o comprador no SAM-MLS, o software pesquisa, todos os dias e automaticamente, novos imóveis que correspondem ao pretendido. Desta forma, o seu cliente sabe que está a prospetar ativamente o mercado em busca de uma solução.

Queremos, com este artigo, mostrar que existe a oportunidade de explorar este segmento de mercado para que consiga uma nova fonte de receita e criar relações muito mais duradouras com os clientes.

Acreditamos que esta é uma das vertentes da medição imobiliária que tem mais potencial para crescer. Os consultores já têm o conhecimento e as ferramentas disponíveis para se tornarem grandes buying agents.

Partilhar este post nas redes sociais